RESERVA DA BIOSFERA DA SERRA DO ESPINHAÇO

O patrimônio natural da Serra do Espinhaço é especial pela extraordinária capacidade de fascinar pessoas, sejam elas bandeirantes, garimpeiros, viajantes, cientistas ou um simples habitante de hoje ou de épocas remotas. As ricas representações de plantas, animais e rituais diversos podem ser vistas nas inscrições rupestres dos períodos mais antigos da ocupação ameríndia, encontradas por toda a extensão da cordilheira.

Durante o período colonial quando a sua riqueza mineral construiu o notável caminho da Estrada Real, os mais expressivos naturalistas da época por ali passaram e nos legaram extraordinárias descrições e afrescos de sua exuberante paisagem. Lamentavelmente a colônia nos deixou também outras heranças com sua maneira predatória de cortar as montanhas, derrubando as matas, degradando os rios e incendiando os campos, o que fez desse santuário uma emergente questão a ser discutida pelas nações.

 

saláo de pedras :: Luiz Cláudio

O alvorecer do século XXI, cenário de um novo Renascimento, agora o da responsabilidade ambiental, trouxe a reavaliação do cuidado planetário. Diante desse contexto, uma feliz cooperação entre o poder público, a sociedade civil organizada e instituições de educação e pesquisa, legitimou um processo com o intuito de restaurá-lo à sua condição de Santuário Natural, como rezavam as antigas tradições.

 

Em um esforço conjunto do grupo de trabalho constituído pela SEMAD - Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais - em parceria com a SAT - Sociedade Amigos do Tabuleiro e coordenação conjunta do IEF - Instituto Estadual de Florestas, IBAMA - Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis, Feam - Fundação Estadual de Meio Ambiente), IGAM (Instituto Mineiro de Gestão das Águas, Fundação Biodiversitas, Instituto Arapoty, Associação Civil Caminhos da Serra, Prefeitura Municipal de Conceição do Mato Dentro, Associação Civil PROTE-Rio, UFMG e PUC Minas, a proposta de criação da Reserva da Biosfera da Serra do Espinhaço foi aprovada no dia 26 de Junho de 2005 pelo Bureau da UNESCO/MaB - Programa Man and the Biosphere.