Projeto Conexão: Implementando o Corredor Ecológico Sossego-Caratinga

Após o reconhecimento oficial pela assinatura do Decreto Estadual NE Nº 397, de 01 de agosto de 2014, de criação do Corredor Sossego-Caratinga, encontra-se em andamento o "Projeto Conexão: Implementando o Corredor Ecológico Sossego-Caratinga". Esta fase representa a continuação das ações de conservação ambiental iniciadas com o Projeto Corredor, que reflorestou 50 hectares de área no entorno de nascentes, de forma a assegurar a preservação do ciclo hidrológico local, além de ter iniciado a criação da conexão entre as duas reservas, Reservas do Patrimônio Natural Mata do Sossego e Feliciano Miguel Abdala.

Nesta nova fase, os objetivos são restaurar e proteger 120 hectares de áreas de preservação permanente ao longo de cursos d'água no Corredor Ecológico, ampliando a conexão entre fragmentos de floresta, além de apoiar a regularização ambiental de propriedades rurais e a implementação de sistemas agroflorestais. Todas essas ações terão como base a educação ambiental, de forma a garantir a participação comunitária e a inclusão social, com resultados de longo prazo para a conservação de espécies. Desta forma, pretende-se assegurar a preservação dos remanescentes de Mata Atlântica da região e contribuir para a preservação da espécie criticamente ameaçada de extinção Brachyteles hypoxanthus (muriqui-do-norte).

 

 

Educação Ambiental

Com foco na conservação dos recursos naturais, o Projeto Conexão - Implementando o Corredor Ecológico Sossego-Caratinga - tem como uma de suas linhas de atuação a Educação Ambiental, através de um processo de ensino participativo onde os problemas ambientais são trabalhados simultaneamente com a busca por soluções, sempre interagindo com a realidade de cada grupo de alunos. O objetivo principal é a formação de cidadãos com atitudes éticas, conscientes dos problemas que os cercam e com habilidade de propor respostas reais.

No primeira etapa do projeto a abordagem da Educação Ambiental junto às comunidades do Corredor Ecológico focou em atividades educativas e interativas realizadas com alunos do ensino fundamental das escolas locais. Nestas atividades, temas como a importância da conservação do meio ambiente para o homem e para o muriqui-do-norte, espécie alvo da iniciativa, serão abordados.

Nesta segunda etapa, através do projeto Conexão, pretende-se convidar e mobilizar professores das disciplinas relacionadas às ciências naturais das escolas do eixo do Corredor Ecológico Sossego-Caratinga, de modo a se tornarem professores multiplicadores visando despertar a consciência ambiental quanto aos benefícios advindos da conservação de áreas de preservação permanente (APP) e reservas legais (RL).


Metodologia

Na primeira etapa, os trabalhos de Educação Ambiental no âmbito do Projeto Corredor Ecológico Sossego-Caratinga consistem na realização de palestras, visitas às comunidades e suas escolas, elaboração de cartilhas de educação ambiental e oficinas relacionadas ao tema. Nesta segunda etapa, a capacitação dos professores será feita por meio de oficinas pedagógicas a serem realizadas nos municípios que integram o CESC, tendo como trabalho de conclusão do curso, ministrar uma atividade escolar relacionada ao conteúdo aprendido nas oficinas.

A idéia é promover a formação de multiplicadores - pessoas da região que, no âmbito de suas atividades ou papel junto às comunidades (professores, lideres comunitários, alunos, entre outros) possam ajudar a disseminar os conhecimentos e práticas adquiridas nas atividades de Educação Ambiental do Projeto.

Recuperação Florestal

Esta ação tem como principal objetivo fomentar a conexão florestal entre as RPPNs Mata do Sossego e Feliciano Miguel Abdala por meio de ações conservacionistas, restauradoras e socioambientais. Neste sentido, pretendeu-se tanto ligar os remanescentes de Mata Atlântica da região com a recuperação de Áreas de Preservação Permanente, quanto garantir a perpetuidade destas ações por meio do envolvimento e comprometimento das comunidades locais com vistas à melhoria do habitat e conservação do muriqui-do-norte, Brachyteles hypoxanthus, espécie ameaçada de extinção que compartilha a região com seus moradores. A primeira etapa do Projeto na região teve como principal atividade a recuperação florestal de Áreas de Preservação Permanente no entorno de nascentes de propriedades rurais como uma estratégia de conexão entre duas RPPNs. Essas ações de reflorestamento conectaram cerca de 3.000 hectares de fragmentos florestais de Mata Atlântica da região do Corredor com o plantio direto de 40.000 mudas de espécies nativas no entorno de 90 nascentes em 64 diferentes propriedades.

Nesta segunda etapa, através do Projeto Conexão, as atividades de reflorestamento incluirão as Áreas de Preservação Permanente ao longo dos cursos d´água e de nascentes, incluindo a doação de mudas e insumos aos proprietários rurais, visa recuperar uma área igual ou superior a 120 hectares dentro do Corredor.

Os proprietários interessados em promover a recuperação florestal em suas propriedades estão sendo cadastrados e uma análise individualizada das APPs está sendo realizada. Essas informações irão nortear a definição da melhor técnica de plantio a ser utilizada em cada caso. As mudas serão plantadas no início do período chuvoso, previsto para outubro, e serão monitoradas durante o seu crescimento. O propósito principal é auxiliar os proprietários a cuidarem de seus recursos naturais e, ao mesmo tempo, torná-los importantes parceiros na implementação do Corredor Ecológico Sossego-Caratinga.

Implantação de projetos demonstrativos de modelos de Sistemas Agroflorestais

Uma das linhas de atuação do Projeto Corredor Ecológico Sossego-Caratinga é a capacitação dos agricultores locais no que se refere às técnicas mais atuais e modernas de Agroecologia. Resumidamente, a agroecologia consiste em adequar as práticas agrícolas às dinâmicas naturais onde estão inseridas, de modo a estabelecer uma boa relação entre o plantio agrícola e as espécies vegetais e animais nativos da região. Assim, o impacto ambiental das lavouras e até mesmo da pecuária, são minimizados e a produtividade - de maneira sustentável - aumenta consideravelmente.

Uma das práticas a serem implementadas é o sistema Agroflorestal, que envolve o manejo de recursos naturais, utilizando técnicas de uso da terra que combinam árvores frutíferas ou madeireiras com cultivos agrícolas e/ou pastos, em função do tempo e espaço, com o objetivo de incrementar e otimizar a produção de forma sustentável. Esta combinação pode ser feita simultaneamente ou seqüencialmente, em termos de tempo e espaço, sempre objetivando a otimização da produção total por unidade de superfície, sem desrespeitar o princípio de rendimento sustentável.

A primeira etapa do projeto promoveu a capacitação dos agricultores através de cursos com aulas expositivas e práticas e trocas de experiências, além da produção de material didático contendo conceitos e técnicas de manejo agroecológico. Nesta segunda etapa, através do projeto Conexão, serão realizadas a implementação de dois sistemas agroflorestais demonstrativos. A educação ambiental também será trabalhada durante o curso de capacitação dos agricultores. Conceitos relacionados à ecologia, conservação e biodiversidade serão transmitidos em linguagem adequada, vinculados à sua importância ambiental, ética, econômica e quanto à qualidade de vida das populações humanas.

Metodologia

As atividades referentes à capacitação dos agricultores locais - no que tange à agroecologia - consistiu em oficinas, aulas expositivas, além de um diagnóstico das capacidades de agricultores locais, de modo a tornar mais eficiente a apreensão do novo conhecimento, tendo como suporte cartilhas e apostilas, em linguagem apropriada para o público alvo. A implantação dos sistemas agroflorestais demosntrativos será feita pelos proprietários, apoiados por técnicos do Projeto, a partir da avaliação prévia das propriedades. Um protocolo-controle será elaborado para o registro dos plantios, sua evolução e benefícios ambientais e econômicos, peças fundamentais não só, para o sucesso do Projeto Corredor Ecológico Sossego-Caratinga, mas também para a manutenção e conservação efetiva dos serviços ambientais na região.

Publicações e materiais de comunicação produzidos

Camiseta de distribuição
Informativo (clique na foto para ampliar)
Veículo do projeto adesivado
Bonés
Chaveiro
Lápis
Mapa Temático
Banner
Banner 
Calendário 
Banner de educação ambiental
 

 

Banco de Dados:

Esta seção, restrita à equipe técnica do Projeto “Corredor Ecológico Sossego-Caratinga: Recuperação de Áreas de Preservação Permanente e Conservação do Brachyteles hypoxanthus (Muriqui-do-Norte)”, apresenta os Sistemas de Informações Técnicas gerados por este projeto: o Banco de Dados, o Banco de Imagens e o Banco de Mapas.


O Banco de Dados do Projeto Corredor Ecológico Sossego-Caratinga contém informações básicas dos proprietários parceiros do projeto que tiveram suas propriedades rurais cadastradas e cederam nascentes para participar do reflorestamento. Desta forma, este banco apresenta tanto a área da propriedade quanto as diferentes atividades econômicas nela realizadas. Espera-se, com isto, facilitar as futuras análises dos dados da região.


Já o Banco de Imagens apresenta todas as fotos retiradas ao longo da execução do projeto com o intuito de termos um amplo registro fotográfico das atividades realizadas.


E o Banco de Mapas, que inclui tanto os mapas elaborados pela Fundação Biodiversitas quanto as imagens de satélite fornecidas pelo parceiro Instituto Estadual de Florestas - MG, tem como objetivo permitir a visualização da região do Corredor antes do início das atividades do projeto, bem como o andamento das mesmas.


Entre com Usuário e Senha enviados pela Biodiversitas para acessar o banco de dados:

Usuário:  
Senha: Esqueceu a senha?


Qualquer dúvida, mande-nos um e-mail: corredorsossego@biodiversitas.org.br