Biodiversidade da Caatinga

Seminário realizado no período de 21 a 26 de maio de 2000

Caatinga:: Leonardo Tavares

Nos últimos anos foram criados diversos fundos e mecanismos para promover a conservação e o uso sustentado da diversidade biológica (=biodiversidade) nas regiões tropicais. Entretanto, os responsáveis pelas decisões nesta área enfrentam um grande desafio: como identificar áreas e estabelecer ações prioritárias para financiamento de projetos sobre biodiversidade na ausência de informações sobre o assunto?

Uma das maneiras mais eficientes de atingir esses objetivos são os seminários regionais para seleção de áreas prioritárias para conservação, desenvolvido pelas organizações conservacionistas. A metodologia dos seminários envolve uma compilação prévia de dados sobre a distribuição da biodiversidade, localização das áreas naturais e antropizadas e indicadores sócio-econômicos. Estas informações são sintetizadas utilizando-se de sistemas de informação geográfica (SIG), de forma a resumir em mapas temáticos os principais condicionantes de decisão para as ações de conservação. Além dos aspectos biológicos e sócio-econômicos, são avaliadas também a integridade dos ecossistemas e as oportunidades de ações de conservação. As áreas e as ações prioritárias são definidas em um seminário participativo com a presença dos vários atores envolvidos no processo de conservação e uso sustentado da biodiversidade: cientistas, técnicos, ambientalistas, empresários, organizações não-governamentais, órgãos de estado, entre outros.

A proposta dos seminários regionais foi incorporada ao programa apresentado pelo Governo brasileiro ao Global Environment Facility (GEF), como parte do Projeto de Conservação e Utilização Sustentável da Diversidade Biológica Brasileira (PROBIO), o primeiro projeto do Programa Nacional de Biodiversidade (PRONABIO) do Ministério do Meio Ambiente, Recursos Hídricos e da Amazônia Legal (MMA). Em cumprimento às obrigações do Brasil junto à Convenção sobre Diversidade Biológica, firmadas durante a ECO-92, uma série de estudos foram desenvolvidos nos últimos 2 anos sobre os diversos biomas brasileiros. O subprojeto Avaliação e Ações Prioritárias para Conservação do Bioma Caatinga faz parte desta iniciativa.

Sob a ótica da conservação, o estabelecimento de ações prioritárias para a Caatinga pode ser considerado uma das ações mais urgentes no Brasil. Primeiro, porque a Caatinga é o único bioma exclusivamente brasileiro. Segundo, porque a Caatinga abriga uma fauna e flora únicas, com muitas espécies endêmicas, ou seja, que não são encontradas em nenhum outro lugar do planeta. Por fim, porque a Caatinga é um dos biomas mais ameaçados do Brasil, com grande parte de sua área tendo já sido bastante modificada pelas atividades humanas.